quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Estamos na Briga‏

Olha não é fácil ser um treinador de futebol e talvez por isso os especialistas sempre cogitam os conhecedores ou experientes para dirigir um selecionado na tentativa de representar bem um país.
O Felipão é assim apesar de ironizar em muitos momentos os profissionais da imprensa e até alguns torcedores. O certo é que com ele a Seleção Brasileira retomou a sua identidade e tem atuado com a praticidade das candidatas ao Mundial que será disputado aqui no Brasil.

Claro que cada um de nós temos um outro jogador para ser convocado , porém ele precisa conter a capacidade técnica e tática, aliada a condição do servir coletivamente para a entrega fluir no fazer da diferença.

Sentimos isso de maneira conjunta , ou seja já confiamos mais no Julio Cezar e no Jeferson como fonte inicial da defensiva . A marcação no setor de meio campo já não demonstra ansiedade , devido a solidariedade entre os responsáveis pela função ,claro auxiliados pelos criadores que colam rapidamente nos adversários quando perdem a posse de bola , amparados em tese pelo desejo dos atacantes .

Em fim já podemos afirmar que estamos na briga sim por que Copa do Mundo pode ser conquistada dando show ou atuando com coragem de marcar forte distribuindo criatividade e fundamentalmente precisão nos momentos mais definitivos das disputas.


Samuel Cunha